Pesquize em toda a Web

Feirão da Caixa terá foco em imóveis de até R$ 190 mil

terça-feira, 9 de junho de 2015


Evento acontece em BH de sexta-feira até domingo


Expectativa. Com praticamente o mesmo número de imóveis, Caixa quer R$ 1 bilhão em negócios



O tradicional Feirão da Caixa acontece neste fim de semana em Belo Horizonte com foco nos imóveis mais baratos: 80% custarão, no máximo, R$ 190 mil, e se voltam para o programa Minha Casa Minha Vida e operações com recursos do Fundo de Garantia (FGTS). “Diante da racionalização de recursos, estamos diminuindo as cotas de financiamento para atender um número maior de pessoas”, explica o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Ronaldo Roggini.


Essa medida, porém, afeta o mercado de imóveis acima deste valor, na opinião do diretor da área de corretoras de imóveis da Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Jamerson Leal. “Com certeza afeta as vendas, até porque, na cabeça do brasileiro, financiamento de imóvel é só na Caixa. Tem muito cliente deixando de comprar imóvel em função das restrições da Caixa”, diz.

O banco é responsável por 70% dos financiamentos de imóveis no país. Porém, tem diminuído o acesso ao crédito, como no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que utiliza recursos da poupança. A modalidade teve uma redução: financia só até 50% do valor total do imóvel; antes chegava a 80%. Em 2015, estima-se que a Caixa deve reduzir entre R$ 25 bilhões e R$ 30 bilhões o volume de recursos para crédito imobiliário, tanto vindos da poupança como do Minha Casa Minha Vida, mesmo o banco negando esses números oficialmente.

No ano passado, a média do valor dos contratos no Feirão foi de R$ 140 mil no Minha Casa Minha Vida, e de R$ 260 mil no SBPE. A Caixa espera manter, nesta edição, o número de negócios que alcançou nos dois últimos anos, que ficou em torno de R$ 1 bilhão.

Roggini reconhece que as retiradas da poupança afetaram a capacidade de financiamento. Ele acredita, porém, que a liberação pelo Banco Central dos depósitos compulsórios da poupança, no valor de R$ 22,5 bilhões, irá “normalizar o mercado”. “Mas não temos esse recurso agora”, diz. No Minha Casa Minha Vida, 90% do total pode ser financiado, no caso de imóveis novos, e 80% nos usados.

Jamerson Leal concorda com outro argumento da Caixa para focar neste segmento. Segundo Roggini, é nessa faixa de preço que “o mercado ainda está aquecido”. Já Leal diz que é um segmento cujas vendas caíram menos, porque o déficit de imóveis ainda é alto.

Serviço

11º Feirão Caixa da Casa Própria em Belo Horizonte

Local: Expominas

Data: 12 e 14 de junho (sexta a domingo)

Horário: das 10h às 20h (sexta e sábado) e das 10h às 18h (domingo)

Imóveis disponíveis para venda: 21.776

Parceiros de vendas presentes: 60

Documentos necessários para requerer crédito: Identidade, CPF e comprovante de renda
(OTempoBH)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP