Pesquize em toda a Web

Construtoras crescem em 2014 usando estratégias específicas para público-alvo

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Vieira, vice-presidente da Copasa, agora quer o prêmio/DivulgaçãoO ano de 2014 foi desafiador para a maioria das construtoras mineiras, principalmente devido às incertezas que rondam a conjuntura econômica nacional. Segundo a Fundação Getulio Vargas, a expansão do setor no Estado em 2014 deve ser de apenas 1,4% na comparação com 2013. Para driblar o mau momento e atingir melhores resultados, empresas de diferentes portes e perfis revelam algumas das suas estratégias, que podem garantir variação positiva de até 60% sobre o desempenho registrado no último ano.

A Artes Construtora, há sete anos no mercado, sediada no bairro Gutierrez, na região Oeste da Capital, entregou dois empreendimentos ao longo de 2014. O primeiro foi concluído em março e é um residencial de dez unidades, com 80 metros quadrados cada uma, erguido no bairro Gutierrez. O Valor Geral de Vendas (VGV) é de R$ 5,2 milhões e, até agora, 60% já foram comercializados.

O segundo projeto concluído foi um edifício comercial com cinco lojas e 12 salas. Metade das unidades já foi vendida e o restante vai permanecer com a empresa, que pretende transferir a sua sede para o local. O VGV do empreendimento é de R$ 7,7 milhões.

Neste ano, a Artes pretende alcançar crescimento de 15% sobre 2013. "Embora o mercado esteja desaquecido, a construtora registrou alguns pontos fora da curva, que ajudaram a sustentar a variação positiva. Também aproveitamos o período um pouco menos aquecido para fazer uma reestruturação interna e, com isso, garantir melhores resultados no futuro", afirma o gerente Financeiro e de Operações, Felipe Cançado Bicalho.

Uma das estratégias adotadas para garantir a perenidade dos negócios foi a definição do público-alvo. Bicalho explica que o foco são jovens casais, com raízes no Gutierrez e bairros vizinhos, onde a empresa lança a maior parte dos seus projetos. "Adquirimos terrenos fora do coração desses bairros, o que reduz o custo final do imóvel", explica Bicalho. Neste ano, a Artes lançou dois empreendimentos residenciais, um de 20 unidades no Santo Antônio, na região Centro-Sul, e mais um no Gutierrez, com oito unidades. O VGV total é de R$ 14,3 milhões.

Preço - A Trena Construtora, sediada no bairro Prado, na região Oeste, observou que a procura pelos imóveis de menor valor continuou aquecida. Neste ano, a construtora entregou um empreendimento com 36 unidades no bairro João Pinheiro, todas elas previamente vendidas. O VGV é de R$ 8 milhões. O sucesso impulsionou a construtora a lançar, em outubro, mais um empreendimento no mesmo bairro. Desta vez, são 41 unidades e VGV de R$ 11 milhões.

De acordo com o diretor Comercial da Trena, Bruno Otávio Bouissou, o desempenho registrou estabilidade no confronto com 2013. A Trena, que também atua no segmento da construção pesada, observa que, excepcionalmente neste ano, ele respondeu por 70% da receita total gerada, contra 30% das incorporações. "Este foi um ano atípico, pois, em geral, a participação das duas áreas é dividida igualmente", avalia Bouissou.

O diretor comercial se mantém otimista para o próximo ano. Uma das grandes apostas para 2015 é o lançamento de um prédio de apartamentos compactos no bairro de Lourdes (região Centro-Sul), umas das áreas mais nobres e cobiçadas de Belo Horizonte. "Ainda não consigo estabelecer uma previsão de crescimento para o ano que vem, mas estamos confiantes. Para isso, pesquisamos o mercado a fundo para investir nos produtos certos", comenta.


Minha casa, minha vida - Especializada em imóveis que se encaixam no programa do governo federal "Minha casa, minha vida", a Precon Engenharia, no bairro Cruzeiro, na região Centro-Sul, lançou 1.200 unidades neste ano, com um VGV de R$ 160 milhões. Entre as que foram anteriormente lançadas, foram entregues 500 e mais 400 devem ser finalizadas até dezembro. A maioria delas está localizada em bairros de cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Com isso, o crescimento em vendas previsto para 2014 é de 60% na comparação com o exercício passado. "O mercado teve alguns balanços na oferta de crédito, o que não impactou tanto os financiamentos do programa", avalia o diretor Comercial da Precon Engenharia, Felipe Bernardes. No próximo ano, a empresa pretende lançar mais duas mil unidades, nas regiões do Barreiro e Venda Nova e em Betim e Contagem (RMBH).(Diario Comercio)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP