Pesquize em toda a Web

Imóveis sobem menos em BH

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014


Valorização média na capital mineira em 2013 foi de 4%, o menor avanço do país



Belvedere.Bairro da região Sul de Belo Horizonte tem o metro quadrado mais caro da capital


Em 2013, o metro quadrado dos imóveis de Belo Horizonte teve valorização de 4% – a menor entre oito capitais pesquisadas pela Agente Ideal, consultoria especializada em mercado imobiliário. Na capital mineira, o metro quadrado construído foi calculado em R$ 4.836, quase a metade do observado em Brasília, por exemplo, onde o preço médio fechou 2013 em R$ 9.061.

“Esses números refletem a situação de acomodação que foi a tona do ano de 2013”, explica o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Luiz Fernando Pires. De acordo com o dirigente, o último ano foi de equilíbrio entre oferta e procura, o que trouxe consequente acomodação dos preços.

Essa visão é compartilhada pelo presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Minas Gerais (Creci-MG), Paulo Tavares, que também é proprietário da Sótão Imobiliária. “Entre 2008 e 2011, houve um boom enorme no setor. Uma euforia mesmo. A demanda era muito maior que a oferta e os preços dispararam”, analisou. Ele explica que essa atual acomodação nos preços dos imóveis da capital se explica também pelo aumento da oferta. “Naquele momento em que houve escassez de mão de obra, muitas obras atrasaram. Agora, essas obras foram entregues e houve uma grande oferta de produtos, o que também impactou os preços”, disse.

Para o ano de 2014, a expectativa dos especialistas é que o crescimento do setor siga o ritmo moderado de 2013. A Copa do Mundo deve ter um efeito pontual no setor, além de alguns benefícios indiretos. “Como a cidade ganhou visibilidade com o evento, a economia deve se aquecer e mais compras e vendas devem acontecer”, opina Tavares. “Mas é um período muito curto e, depois do evento, a tendência volta a ser de acomodação”.

Brasil. De acordo com o levantamento da Agente Imóvel, na média, o metro quadrado mais caro do país está em Brasília (R$ 9.061), seguido pelo Rio de Janeiro (R$8.485). Embora o preço médio mais baixo seja em Curitiba (R$ 3.671), lá foi onde ocorreu a maior valorização (22%). No Brasil, o preço médio é de R$ 5.894, alta de 9% na comparação com 2012.

Por bairros, o maior metro quadrado é no Leblon, no Rio, (R$ 24.142). Na capital os locais mais caros são o Belvederes (R$ 8.303) e Lourdes (R$ 7.976).

Custo de transferência será maior


O custo para se transferir um imóvel deverá crescer em Belo Horizonte. A alíquota do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) vai passar dos atuais 2,5% para 3% do valor total do imóvel. A mudança já foi aprovada pela Câmara Municipal, mas ainda não foi sancionada pelo prefeito Marcio Lacerda.

A Câmara do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), já se manifestou contrária à decisão e estuda ações para barrar a medida. “O que precisa ser feito é uma melhor utilização dos recursos e não aumento de tributos”, disse o presidente da entidade, Evandro de Lima Júnior.(Economia/OTempoBH)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP