Pesquize em toda a Web

Imóveis são boa opção de investimento

sábado, 16 de novembro de 2013

Mercado imobiliário continua em franco crescimento nas principais capitais do país, inclusive na Grande BH.

Apesar de um certo desânimo do investidor diante do baixo crescimento da economia brasileira, o mercado imobiliário continua em franco crescimento nas principais capitais do país, inclusive na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Segundo o diretor da Lopes Minas, Fernando Antunes, a taxa média de valorização é bem atrativa, variando entre 15% e 25% ao ano. Para 2014 ele projeta um crescimento de lançamentos de até 20%, na comparação com 2013. Entre os motivos para o otimismo está a manutenção de bons índices de emprego e renda e a grande demanda por imóveis no país.

Pesquisa realizada pela Lopes, que é uma rede de consultoria e intermediação de imóveis com atuação em todo o país, apurou que cerca de 8% dos compradores residentes na Grande BH adquirem imóveis fora do Estado. Desse total, 4,1% fecham negócios em São Paulo, prioritariamente imóveis comerciais, enquanto 1,5% no Espírito Santo e 1% no Rio de Janeiro, com intenção de lazer e turismo, e outros 0,4% no Ceará e 0,3% no Paraná.

Segundo Antunes, o percentual de mineiros que compram imóveis em outros estados já foi bem mais alto. "Antes, o quintal de Minas era o Espírito Santo ou Rio de Janeiro. Agora, é no próprio Estado, em ranchos, casas de campo, chácaras", informou. A pesquisa, realizada entre setembro de 2011 e agosto de 2013, com mais de 46 mil clientes do grupo em todo o país, apurou também que 92% dos compradores que já moram em Minas pretendem permanecer no Estado.


Perfil - Dos que compram imóveis em Minas Gerais, a expressiva maioria é composta por mineiros (96,5%). Logo depois estão os paulistas, que representam 2,5%, focados especialmente em imóveis comerciais. E muito depois os compradores do Rio de Janeiro (0,2%) e Pará (0,2%). Os clientes do Distrito Federal, Tocantins, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul representam 0,1% cada um. Os demais estados, juntos, representam 0,2%.

Na avaliação de Antunes, embora o baixo crescimento econômico desestimule investimentos em imóveis, vários outros fatores contribuem para o incremento do setor. "Antes, o mercado entendia que valia mais a pena investir em alguma aplicação financeira, porque a rentabilidade do aluguel era menor. Agora se entende que é preciso calcular a rentabilidade com a valorização do imóvel", explica.

O crédito facilitado nos últimos cinco anos também tem contribuído para aquecer o mercado. "Muitos já receberam os imóveis e já comprovaram a valorização", observou, ressaltando que na RMBH, pelo menos 12% das pessoas compraram pelo menos mais de um imóvel. "Este percentual pode ser ainda maior, considerando os que já tinham algum patrimônio antes desse período", ponderou.

Na avaliação de Antunes, em 2014 haverá crescimento de até 20% no volume de lançamentos na RMBH, considerando que em 2013 houve uma certa estabilidade, com as incorporadas priorizando a venda de estoques. Segundo ele, enquanto em alguns países a taxa média de financiamento de imóveis chega a 50% ou 60% da população, no Brasil ainda é inferior a 10%.(DiarioDoComercio/Economia)

1 comentários:

Fragomeni Negócios Imobiliários 19 de novembro de 2013 14:34  

Sem dúvida imóvel é uma ótima opção!

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP