Pesquize em toda a Web

Investimento em imóvel comercial atrai jovens

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012


Há 5 anos, investimento em aluguel ou revenda tinha público mais velho
Maior chance de ganho está nas lajes corporativas, que têm retorno superior ao de salas comerciais


O investidor de pequenas salas comerciais, que compra imóveis na capital paulista para alugar ou revender, ficou mais jovem e tem renda menor do que há cinco anos.

Um estudo feito pela imobiliária Lopes para a Folha mostra que o público que procura imóveis nesse perfil tem, em média, 43 anos e renda familiar mensal de R$ 23 mil.

Há cinco anos, a idade média superava os 50 anos e a renda familiar era o dobro.

Os investidores eram quase sempre empresários bem sucedidos -havia pouco espaço para assalariados. Agora, 25% são executivos contratados por companhias.

O estudo considerou os compradores de empreendimentos da imobiliária em 36 bairros da cidade.

Edgar Nunes, 36, é um dos investidores recentes. Diretor de uma multinacional, Nunes comprou sete salas em um empreendimento em Santo Amaro (zona sul) lançado em 2009. Já vendeu cinco.

"Como as unidades esgotaram no lançamento, houve grande procura por revenda. Vendi as cinco depois de um mês e obtive 10% de ganho", diz. "Agora, o m² que custava R$ 6.500 supera R$ 9.000 [alta de 38%]. A previsão de entrega é 2013 e estou pensando se vendo ou alugo."

No estudo, os investidores se dividem de forma equilibrada entre os que procuram salas para revender e os que pretendem alugar.

"Hoje, conta para o investidor não só a rentabilidade no curto prazo, mas também a composição de um patrimônio para o futuro", diz Mirella Parpinelle, diretora da Lopes.

LAJES CORPORATIVAS
No aluguel comercial, o grande potencial está nas lajes corporativas, com custo a partir de R$ 30 milhões.

O retorno mínimo para locação fica em 0,8% ao mês, enquanto que as salas comerciais rendem 0,6% -patamar do aluguel residencial.

No Tesouro Direto, o investidor pode ter hoje na casa de 0,8% ao mês -10% num ano, sem o desconto de imposto.

"O mercado de salas comerciais seguirá crescendo", diz Roberto Coelho da Fonseca, diretor da Coelho da Fonseca.





Valorização de sala comercial pode não se repetir
mercado
Quem pretende entrar agora em um investimento em salas comerciais, entusiasmado com a valorização recente do m², deve ser cauteloso e analisar bem as condições.

O preço médio do m² de imóveis lançados nesse perfil subiu 54% de 2008 a 2011 na capital paulista, segundo dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio) publicados pela Folha no sábado -o tamanho médio das novas salas diminuiu de 61 m² para 43 m².

"Os preços já subiram muito e certamente quem se aventurar agora não vai obter tanto ganho quanto quem entrou há alguns anos", diz Valter Police, planejador financeiro pessoal.

"Além disso, é preciso considerar que o dinheiro investido em salas comerciais ou residências fica imobilizado, mais difícil de se tornar disponível em caso de necessidade", acrescenta.

Como também mostrou a reportagem da Folha, entre os bairros que mais se destacaram quanto ao aumento de salas, estão Santo Amaro (zona sul), Barra Funda e Perdizes (ambos na zona oeste).

"Santo Amaro é densamente ocupado por indústrias, que estão com os seus espaços saturados, e os departamentos administrativos das empresas estão saindo para salas comerciais em prédios próximos. Além disso, há os prestadores de serviços", afirma Luiz Paulo Pompéia, diretor da Embraesp.

Na Barra Funda, há "forte demanda por escritórios de advocacia, devido à proximidade dos fóruns [trabalhista e criminal]", diz Pompéia.

O bairro de Perdizes tem se destacado "por causa da busca de unidades por empresários e profissionais liberais que moram na região e querem ter escritórios nas proximidades", diz o diretor.

CUIDADOS
Police ressalta a necessidade de pesquisar bem a região onde se pretende comprar uma sala: para o investimento ter potencial, a oferta de imóveis precisa ser baixa em relação à demanda existente por recompra ou locação.

"Os imóveis são uma boa opção para dar mais segurança a uma carteira de investimentos, mas não devem representar todo o patrimônio", afirma João Crestana, presidente do conselho consultivo do Secovi-SP.


(Fonte:FolhaSP
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP