Pesquize em toda a Web

Recursos da poupança para financiamento aumentam 44,5% em 2011

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Projeções da Tendências Consultoria indica aumento menor para 2012
Pesquisa da consultoria econômica Tendências Consultoria aponta o mercado imobiliário como responsável por 1/3 das atividades da construção civil em 2011, mesmo com a redução nas entregas de imóveis ao longo do ano. Grande parte da atividade seguiu impulsionada pelos financiamentos com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

Até julho (último dado disponível da consultoria) foram liberados R$ 43,51 bilhões, que representam aumento de 51,2% sobre igual período de 2010. O valor é relativo a 272,2 mil unidades construídas, em um aumento de 21,3%.

A estimativa para este ano feita pela Tendências é que as liberações com recursos do SBPE aumentem 44,5% em valor, totalizando R$ 82 bilhões, e 20,5% em unidades, totalizando 507,73 mil. Para 2012, a projeção é de alta de 10,4% no montante, somando R$ 89 bilhões, e 10% em unidades, somando 552 mil.

"A redução do ritmo estaria relacionada a uma acomodação, em função da base de comparação muito forte estabelecida nos últimos anos. Entre 2005 e 2010, as liberações anuais passaram de R$ 4,8 bilhões para R$ 56,0 bilhões, crescimento superior a 1.000%", diz o estudo.





"Pelo lado da oferta", continua a projeção, "ainda que a razão entre financiamento do SBPE e recursos da poupança venha apresentando rápido aumento (51,7% em julho), não há preocupação com o esgotamento de recursos do crédito direcionado pelo menos até o fim de 2012. Algumas estimativas apontam que o limite de 65% deverá ser atingido no fim de 2013. Pelo lado da demanda, a evolução ainda favorável do mercado de trabalho e a redução da taxa de juros devem seguir incentivando a tomada de crédito".

Os recursos do FGTS também apresentaram alta entre janeiro e agosto deste ano (último dado da consultoria). Foram liberados R$ 20,0 bilhões, valor 15,7% superior a igual período de 2010. Para o ano de 2011, a projeção é de 7,3% em valor e 8,3% em volume.

Além da expansão da atividade imobiliária, as perspectivas para o setor de infraestrutura, que também representam cerca de um terço da construção civil, são promissora. A empresa acredita que a intensificação das obras de infraestrutura para a realização de megaeventos esportivos em 2014 e 2016 deve impulsionar o setor de construção civil.

Segundo o estudo, além de novas obras, deve ocorrer forte retomada de investimentos que foram interrompidos com a crise de 2008. Desta forma, mesmo que alguns indicadores da construção tenham apresentado desempenho um pouco mais fraco até meados deste ano, a consultoria vislumbra um quadro ainda favorável para o setor.

A projeção para o índice de produção física de insumos típicos da construção (ICC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é de alta de 4,0% em 2011 e 4,5% em 2012. Já a estimativa da empresa para o PIB da construção é de crescimento de 3,7% em 2011 e 4,4% em 2012, ainda acima do crescimento previsto para o PIB total para o qual estima-se alta de 3,3% neste ano e 3,7% no próximo.

Em 2010, foram criados 2,1 milhões de empregos formais, e a projeção para este ano é de 1,6 milhões de novas vagas.

Tendências Consultoria é uma consultoria econômica que trabalha com estudos setoriais em mais de trinta segmentos. É dirigida por Maílson da Nóbrega, ministro da Fazenda de 1988 a 1990, e por Gustavo Loyola, presidente do Banco Central em duas ocasiões (1992 - 1993 e 1995 - 1997).(PiniWeb)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP