Pesquize em toda a Web

Complexo imobiliário da Granja Werneck obteve a licença prévia

segunda-feira, 28 de novembro de 2011


A área da Granja Werneck representava um vazio urbano 
que sofria ameaça de ocupação desordenada

Está perto de sair do papel o projeto de urbanização da Granja Werneck, uma área de 3,5 milhões de metros quadrados, localizada na região do Isidoro, no Vetor Norte da Capital. A licença prévia para o empreendimento já foi liberada pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) e a expectativa é de que o restante do processo de licenciamento ambiental seja concluído em breve.

As informações são do gerente do projeto, Renato Michel. Segundo ele, todo o detalhamento já foi aprovado pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam). E a primeira fase das obras, que consiste da construção de 2,4 mil unidades habitacionais, deve ter início já no primeiro semestre do próximo ano.

Ao todo, o projeto urbanístico da Granja Werneck prevê a construção de 17,5 mil unidades habitacionais. "Vamos fazer a primeira fase agora e analisar como será o comportamento do mercado. A partir daí, vamos dar continuidade ao projeto conforme a demanda", afirmou Michel.

De acordo com o gerente, parte dos 2,4 mil apartamentos será destinada ao programa de habitação popular do governo federal "Minha casa, minha vida". Os imóveis serão voltados para as classes B e C e serão comercializados por valores que devem variar entre R$ 120 mil e R$ 200 mil.


Aportes 
O projeto da Granja Werneck foi elaborado pelo Instituto de Arquitetura Jaime Lerner, do ex-governador do Paraná, e faz parte do plano elaborado pela Prefeitura de Belo Horizonte, juntamente com o consórcio integrado pela construtora e incorporadora Rossi, de São Paulo, e pela mineira Direcional Engenharia para ocupar um terço da região.

Somente nesta primeira fase das obras, segundo Michel, serão investidos cerca de R$ 200 milhões, entre a construção das unidades habitacionais e a implantação da infraestrutura necessária no terreno. "Temos hoje nas mãos um dos maiores projetos habitacionais em andamento no Brasil", ressaltou.

Michel também destacou a importância do projeto da Granja Werneck para Belo Horizonte, já que a escassez de terrenos é um dos entraves para a construção de mais moradias na Capital. "Além disso, tem o fato de ser uma área que representa um vazio urbano que sofria ameaça de ocupação desordenada", observou.


Origem 
A Granja Werneck era uma das três fazendas que integravam a região do Isidoro, que ao todo tem cerca de 10 milhões de metros quadrados. A granja é de propriedade da família Werneck há 90 anos e está em nome da empresa Granja Werneck S/A, que conta com cerca de 30 acionistas.

As outras fazendas que deram origem à região do Isidoro são a Fazenda Tamboril, hoje de propriedade do grupo DMA, detentor das redes de supermercados Epa, Mart Plus e Viabrasil, e a Fazenda Capitão Eduardo, que pertence aos herdeiros do coronel Antônio Ribeiro de Abreu, cujo nome e parte das terras originaram o bairro Ribeiro de Abreu, na região Nordeste da Capital.

As áreas pertencentes às duas fazendas, tomando-se como base de cálculo os mesmo valores que cada unidade habitacional da Granja Werneck demandará para construção, devem abrigar cerca de 47 mil moradias, mediante investimento de R$ 7,520 bilhões. A região do Isidoro é mais de 20% superior à área interna da avenida do Contorno, que possui cerca de 8,3 quilômetros quadrados. Ao todo, devem ser erguidas 72 mil moradias.

Adicionado ao R$ 1,07 bilhão necessário para a implantação da infraestrutura interna da região, incluindo obras viárias, parques públicos de preservação ambiental e construção de escolas, o valor que o empreedimento demandará, de acordo com o projeto original encaminhado à Câmara Municipal, é superior a R$ 12 bilhões.(DiariodoComercio)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP