Pesquize em toda a Web

Nunca se financiou tanto imóvel no CE: R$ 5 mi por dia

segunda-feira, 16 de maio de 2011


Clique para Ampliar
Antes da abertura do Feirão da Caixa ontem, uma fila já se formava em frente ao Centro de Convenções de Fortaleza. Os candidatos a mutuários buscam a chance de sair do aluguel
FOTOS: JOSÉ LEOMAR
Clique para Ampliar
Caixa responde hoje por 71% do market share do mercado de financiamentos imobiliários no Brasil. No primeiro trimestre do ano, assinou 226.381 contratos habitacionais, totalizando R$ 14,7 bi
Clique para Ampliar
No primeiro trimestre deste ano, foram R$ 322,7 mi financiados no CE. O montante equivale a 4.094 contratos

Principal agente de habitação do governo brasileiro, a Caixa Econômica Federal está financiando quase R$ 5 milhões diários em crédito imobiliário a pessoas físicas no Ceará.

O balanço do primeiro trimestre deste ano aponta R$ 322,7 milhões contratados em financiamentos habitacionais no Estado. O montante equivale a 4.094 contratos, beneficiando mais de 16 mil pessoas. A média chega 66 novos contratos diários. "Nunca financiamos tanto a casa própria, e Caixa, como é o banco da habitação, nos últimos três anos, teve uma fomentação enorme em cima dos seus números", afirma Adalfran Carneiro, gerente regional da instituição.

Minha Casa
Segundo Carneiro, por meio do programa federal Minha Casa, Minha Vida (MCMV), o banco assinou contratos para financiamento de 14 mil imóveis, em 2010, em todo o Estado.

Até junho, somente em Fortaleza, a Caixa financiará um empreendimento de quatro mil unidades, próximo ao bairro José Walter. "A nossa grande expectativa é atender o público de zero a três salários mínimos. O público de três a dez salários, nós contratamos diariamente, porque são imóveis na faixa superior a R$ 60 mil até R$ 150 mil. É uma demanda sedimentada na Caixa Econômica".

O gerente regional acrescenta que o banco tem recursos garantidos para sustentar o atual ritmo de incremento no crédito imobiliário pelos próximos anos. "Nós temos financiamentos com recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de serviço), FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) e do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). É claro que, com um volume desses de contratação, o banco tem que procurar outros fundings para operar no crédito imobiliário. Até 2014, pelos estudos, nós estamos garantidos", disse ele, acrescentando que a Caixa, está fomentando a poupança popular, "que é um investimento excelente e é importante que todo brasileiro tenha aquela cultura de poupar".

Liderança
A Caixa responde hoje por 71% do market share do mercado de financiamentos imobiliários no Brasil. No primeiro trimestre do ano, assinou 226.381 contratos habitacionais, totalizando R$ 14,7 bilhões em concessão de crédito. Registrou uma média de R$ 236,6 milhões e 3.651 contratos diários, sendo que 50% das famílias beneficiadas têm renda de até 10 salários mínimos. "O volume financiado de janeiro a março representa um incremento de 50,5% em relação a igual período de 2010", disse Sérgio Rodrigues, vice-presidente da Caixa.

Segundo informações do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), o porcentual médio financiado pela Caixa é de 72% do valor do bem. Já o valor médio de avaliação dos imóveis chega a R$ 119 mil. Com taxa média de juros de 7,5%, o valor médio dos financiamentos contratados atinge R$ 82 mil. O critério rigoroso de avaliação do banco resulta numa taxa de inadimplência de apenas 1,3%. "Nos últimos três anos, além de aumentar o prazo (de quitação do contrato) para 30 anos, não existe mais resíduo do saldo devedor. A prestação é amortização, juros e seguro. Como a amortização é maior do que os juros, não gera mais saldo devedor, dando mais segurança ao mutuário. Outra questão é a prestação decrescente", diz Adalfran Carneiro, explicando os fatores que motivam os brasileiros a comprar imóveis de forma financiada.

Crédito
A expansão da carteira de crédito da Caixa Econômica Federal no primeiro trimestre de 2011 contribuiu para que o banco estatal aumentasse sua participação no mercado de crédito brasileiro. Ao fim de março, a carteira da Caixa atingiu o montante de R$ 190,5 bilhões, o que representa 10,87% do sistema financeiro nacional. "Tivemos um crescimento da carteira e também da fatia de mercado, o que é muito importante", destacou Raphael Rezende Neto, vice-presidente de controle e risco da instituição. No primeiro trimestre de 2010 a carteira de crédito da Caixa representava 9,27% do mercado. A expansão das operações de crédito do banco nos últimos 12 meses, de 41,5%, é mais que o dobro da média verificada nas demais instituições. "Olhando o mercado, a gente cresce tanto do ponto de vista de operações, quanto em captação, poupança e depósitos à vista", salientou Rezende.

Lucro
A Caixa fechou o primeiro trimestre do ano com lucro líquido de R$ 812,4 milhões. O resultado é 4,5% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando o banco estatal lucrou R$ 777,5 milhões. "É um resultado extremamente importante e calcado em cima de nossas operações de crédito", afirmou Rezende. As operações de financiamento somaram R$ 190,5 bilhões, salto de 41,5% nos últimos 12 meses. (DiariodoNordeste)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP