Pesquize em toda a Web

Compra de imóvel usado requer atenção e cautela

sábado, 30 de abril de 2011


Oferta. A busca pela casa própria exige cuidados para que o consumidor não caia em golpes imobiliários ou tenha problemas futuros com pendências judiciais dos antigos proprietários do imóvel


Cuidados como verificação de documentação podem evitar grandes problemas

Realizar o sonho da casa própria exige análise e planejamento. Para quem escolhe comprar imóveis usados, alguns cuidados precisam ser tomados para evitar problemas futuros ou possíveis golpes.
A procura da empresária Ana Maria Junqueira, 42, terminou quando ela visitou um apartamento usado no bairro Serra. Segundo a empresária, o que pesou em sua decisão foi o espaço do imóvel. "Eu havia olhado diversos apartamentos, mas encontrei mais vantagem na compra de um imóvel usado do que nos empreendimentos novos. Eu só não imaginava que o imóvel me daria tanta dor de cabeça", lamenta.

Ao fechar negócio, a empresária não verificou se o imóvel possuía dívidas e acabou herdando problemas com o condomínio. "A última coisa que pensei em procurar foi o condomínio do prédio e nem podia imaginar que os antigos proprietários tinham uma dívida de mais de dois anos", conta Ana Maria.

Segundo o sócio da Cia Mineira de Imóveis José Maria Cunha, na hora de comprar um imóvel usado, é imprescindível verificar a documentação. "Algumas pessoas podem agir com malícia na venda do imóvel e repassar débitos para os novos compradores. Se a compra for feita com a intermediação de uma imobiliária, ela irá fornecer os documentos necessários. Mas, se a compra for feita diretamente com o proprietário, é necessário ter cuidado redobrado para não ter problemas", disse.

Para saber se o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) está em dia, é preciso ter o número do contribuinte ou a inscrição municipal mencionada na guia do imposto de qualquer ano e solicitar a certidão negativa na prefeitura.
Segundo o sócio da KBM Advogados Raul Monegaglia, é preciso é exigir todas as certidões referentes ao imóvel objeto da compra, bem como as certidões referentes à pessoa do vendedor. "A verificação das certidões serve para garantir que o objeto não possui qualquer pendência referente a tributos ou taxas e, no caso de imóveis em edifícios, nenhuma pendência condominial", disse.

Ele ainda explica a importância da certidão do vendedor. "A preocupação central, nesses casos, é verificar se o vendedor, ao se desfazer daquele imóvel, se tornará insolvente perante seus credores", explica.


Antes de comprar um imóvel, é importante avaliar aspectos burocráticos e estruturais
Documentação e laudo evitam problema na compra
Comprador deve ficar atento e tomar mais cuidado se for negociar direto com o proprietário
Comprar um imóvel usado, seja para moradia, comercial ou investimento, é um passo importante e alguns cuidados podem evitar problemas futuros. Além de questões burocráticas que devem ser analisadas com bastante critério, o futuro proprietário precisa ter certeza de que a localização do imóvel vai atender às suas necessidades.

Segundo o diretor comercial da Lar Imóveis, Luciano Guimarães, o interessado na compra deve analisar o imóvel sob diversos aspectos, inclusive visitando o empreendimento em vários horários. “Agende visitas em horas diferentes, assim, você identificará a posição e os horários em que o imóvel recebe maior incidência de iluminação solar e perceberá como é o fluxo de veículos em frente ao local”, disse.

Ainda de acordo com ele, é importante que a compra seja embasada na opinião de um profissional capaz de identificar danos no imóvel. “Antes de preparar qualquer proposta de negociação para algum imóvel, agende uma nova visita, porém na companhia de um profissional na área da construção civil. Assim, poderá identificar a saúde física do empreendimento pretendido. Esse profissional irá fazer uma vistoria criteriosa para saber se há incidência de pragas, como cupins, vai fazer a checagem da parte elétrica e, principalmente, da parte hidráulica”, explica.

O sócio da Cia Mineira de Imóveis José Maria Cunha acrescenta que alguns problemas com as redes hidráulica e elétrica precisam ser previstos, pois muitas vezes nem mesmo os proprietários sabem dizer que há algum defeito.

“Quando o imóvel passa pela avaliação de uma imobiliária, esses detalhes são analisados criteriosamente com a elaboração de um laudo realizado por um profissional capaz de verificar a saúde do empreendimento”, disse.

Ele alerta para o caso da compra direta com o proprietário. “Se a pessoa for comprar diretamente do proprietário, é preciso colocar um pouco mais de maldade durante a negociação para não ser vítima futuramente. Algumas vezes, o proprietário não age de má- fé, mas o novo dono pode ter que arcar com os danos”, disse.

Foi o que aconteceu com o professor Edmundo Galvão, 39, há cerca de dois anos. Ele negociou a compra de uma sala comercial sem intermediário e teve problemas meses depois da compra do imóvel.
“Olhei superficialmente e acreditei que estava tudo certo com a sala. Algum tempo depois, veio o período de chuva e a parede ficou manchada. Tive um bom prejuízo com problemas de infiltração. Tive que fazer uma reforma completa e isso custou mais do que eu previa. Mas não sei se o problema da infiltração foi escondido pelo ex-proprietário de propósito. Pode ser que nem ele soubesse do desgaste que havia na sala”, analisa.


Documentação
Quando o negócio é feito com intermédio de uma imobiliária, esta tem a obrigação de apresentar a documentação que comprove que não há pendência com relação ao imóvel. Guimarães explica quais são os documentos necessários: “A imobiliária precisa apresentar certidões negativas emitidas pelo cartório de registro da comarca do imóvel; certidões negativas junto à Receita Federal, Estadual e Municipal; títulos e protestos; certidões da Justiça Federal, Trabalhista e Previdenciária; títulos e protestos e outras certidões que sejam necessárias para a transmissão da propriedade.”


Venda de imóveis requer orientação
Quem quer vender um imóvel pode encontrar alguma dificuldade, principalmente se não contar com a ajuda de um profissional. Segundo o sócio da Cia Mineira de Imóveis José Maria Cunha, um dos principais erros na hora de tentar vender um imóvel é a supervalorização do mesmo.

“Quando o cliente coloca o preço muito acima, acaba frustrado. É preciso que seja realizada uma avaliação de valor por um profissional preparado. Não adianta o cliente querer vender por determinado preço se esse não for o valor real de mercado”, explica.

De acordo com ele, imóveis que apresentam a infraestrutura depreciada também são difíceis de serem comercializados. “O estado de conservação do imóvel influencia bastante na venda. Principalmente para imóveis com certa idade, faz toda a diferença uma reforma que o valorize”, disse. (LM)(JornalPampulha-OTempo)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP