Pesquize em toda a Web

Boom imobiliário demanda mais corretores de imóveis

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Número de profissionais cresce 10% por ano, contabiliza Teodoro

O aquecimento do mercado imobiliário brasileiro não chega a ser uma novidade. O lançamento de programas habitacionais do governo e o forte investimento em empreendimentos privados já fizeram com que se observasse a falta de profissionais nos canteiros da construção civil. Agora, a outra ponta do setor começa a sentir o déficit na mão de obra. O atual contingente de corretores de imóveis em atividade é considerado insuficiente por alguns especialistas. Outros acreditam que a quantidade é suficiente, mas haveria carência em qualidade. Uma unanimidade, porém, é confirmada por ambas as partes: o panorama é positivo para a profissão.

Aproximadamente 260 mil profissionais estão registrados no Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), sendo que 210 mil desses realmente atuam no segmento, segundo dados da própria entidade. O volume é alto, mas não dá conta do ritmo de vendas verificado hoje. “O número de corretores no Brasil sempre foi aquém da nossa necessidade, e, com o atual cenário, sabemos que as imobiliárias têm muita necessidade e também dificuldade em encontrar mão de obra”, afirma o presidente do Cofeci, João Teodoro.

De acordo com ele, o crescimento médio de registros no conselho ficou na casa dos 10% nos últimos três anos, sendo que somente em 2009 esse índice foi acrescido em 11,5% em relação a 2008. Os números apontam para o crescente interesse pela atividade, impulso causado pelo bom momento vivido pelo setor. “Em 2010 esperamos um incremento ainda maior. Tem muita gente entrando nessa carreira.”

Na Brasil Brokers, um dos maiores grupos em consultoria imobiliária da América Latina, a equipe de corretagem cresce em ritmo constante. Em todo o Brasil, a expectativa é que 1,6 mil novos colaboradores sejam incorporados ao quadro de corretores até o fim do ano. Atualmente, a rede já conta com mais de 10,5 mil profissionais do segmento. “O mercado realmente vive um momento de crescimento e com os lançamentos começa a ter mais contratações e faltar gente no mercado”, explica o superintendente de recursos humanos da empresa, Maurício Seixo. Apesar disso, o executivo garante que não há dificuldade de recrutar novos talentos, tamanho o volume de interessados em adentrar no ramo de vendas imobiliárias. Segundo ele, um profissional comprometido com seu desempenho consegue atingir bons ganhos em médio prazo.

Entre as características fundamentais para o sucesso na corretagem, destacam-se itens inatos como boa apresentação e comunicação, além de questões como conhecimentos gerais e específicos do ramo, que dependem da busca por informações do próprio profissional. Exigências técnicas também são requisitos básicos. É preciso ter diploma de curso técnico ou superior em transações imobiliárias para obter registro nos conselhos regionais de corretores de imóveis.(JornaldoComercio/Porto Alegre)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP