Pesquize em toda a Web

RJ: Imóvel fica mais caro até 126% em área pacificada

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Valorização foi tanto para compra e venda quanto para locação em unidades de todos os tamanhos. Ipanema, Copacabana, Tijuca e Botafogo se destacam entre os bairros

Rio - Os imóveis usados valorizaram até 126% no Rio em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado. O destaque foi para Ipanema, Copacabana, Botafogo e Tijuca. Os três primeiros são bairros beneficiados pela ação da polícia pacificadora, as chamadas UPPS (Unidades de Polícia Pacificadora), e o quarto bairro é o próximo a ter esse mesmo tipo de ação — programada para acontecer na comunidade do Borel.


A alta nos preços se deu tanto na venda quanto na locação. Ou seja, foi positiva para proprietários e negativa para os inquilinos. Atingiu tanto apartamentos quanto casas de todos os tamanhos. Os dados foram divulgados ontem pelo Secovi Rio (Sindicato da Habitação).

VOLTA DE IMÓVEIS AO MERCADO
Os motivos que impulsionaram a valorização vão além da instalação das UPPs. A estabilidade da economia e as alterações da Lei do Inquilinato, que permitem a retomada mais rápida do imóvel, por falta de pagamento, também influíram no aumento do valor dos imóveis.

“Verificamos uma procura maior de investidores, pois a locação está trazendo rentabilidade atraente, por conta das constantes quedas da taxa básica de juros. Além do rendimento mensal, há a valorização do imóvel. Até unidades, que estavam fechadas, estão retornando ao mercado. Isso pode contribuir para que o valor do aluguel reduza. É alei da oferta e da procura”, conclui Maria Teresa Mendonça Dias, responsável pelo Cepai (Centro de Pesquisa e Análise da Informação).

O levantamento revela valorização maior de imóveis com mais quartos. Um quatro quartos em Ipanema subiu 126,63%. No Flamengo, 79,04% e, no Leblon, 62,45%. Já os dois quartos foram o destaque da Tijuca, com alta de 81,951%, de São Cristóvão, com 68,93%, e de Botafogo, com 52,50%. Ocorreram também casos de desvalorização. Foi o que aconteceu com imóveis de 3 quartos em Jacarepaguá (-12,66%) e 2 quartos no bairro de Madureira (-2,29%).

Prazo maior para os idosos
Bradesco e Itaú Unibanco ampliaram o prazo de pagamento para pessoas com mais idade. A iniciativa atende a nova legislação do seguro habitacional. Agora, a soma da idade mais o período de financiamento não pode ultrapassar 80 anos, no Bradesco e 80 anos e seis meses, no Itaú. Antes, o somatório chegava a 75 anos. O Banco do Brasil também alterou o prazo para 80 anos, cinco meses e 29 dias. O HSBC não fez alteração e mantém os 75 anos. A Caixa Econômica Federal, Santander e Real já operam com prazo de 80 anos e seis meses antes mesmo das mudanças nas regras do seguro.

SECOVI FAZ ALERTA A SÍNDICOS
O Secovi Rio fez um alerta aos síndicos para que reservem um dinheiro extra para o pagamento dos salários dos funcionários de edifícios, caso a liminar que mantém as remunerações previstas em convenção coletiva de trabalho fora do piso regional seja cassada. Atualmente, o Rio conta com 32 mil condomínios. O piso do porteiro é de R$ 528, ou seja, R$ 18 acima do mínimo nacional R$ 510. Se for considerado o piso regional, o valor sobe para R$ 646,12.

Segundo o Sindicato da Habitação, como se trata de uma decisão de caráter liminar, pode ser cassada a qualquer tempo pelo Tribunal de Justiça. Por isso, a recomendação é que os condomínios, na época dos pagamentos, verifiquem se a liminar ainda está em vigor. Essa informação pode ser conferida no site www.secovirio.com.br. (Fonte:ODiaOnLine)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP