Pesquize em toda a Web

Região da Pampulha / Vetor Norte - A bola da vez

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Iniciativas públicas para melhoria da infraestrutura atraem investimentos imobiliários na Pampulha


Fotos: Marcelo Sena Arquitetura/Divulgação

Perspectiva do apart-hotel a ser construído pela Bitarães Imóveis e a rede de hotéis Arco na área próxima à orla da lagoa



Resgatada por meio de investimentos públicos do abandono a que foi relegada durante décadas, a região da Pampulha começa a atrair grandes empreendimentos imobiliários. Com população que já ultrapassava os 140 mil habitantes, em 2000, quando foi realizado o último censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), distribuídos em 48 bairros, e vocação para o turismo e o entretenimento, em função de seu singular patrimônio arquitetônico e natural, a Pampulha vem recebendo nos últimos cinco anos intervenções, com recursos das três esferas de governo, para melhoria das vias de acesso, revitalização de seu importante acervo arquitetônico, recuperação da orla da lagoa e despoluição do espelho d'água.

As iniciativas, embora algumas ainda estejam em curso, já apresentam resultados, como a crescente valorização de seus imóveis. A transferência da sede do governo do estado para a Cidade Administrativa, em construção na vizinha Venda Nova, e a escolha de Belo Horizonte como uma das cidades sede da Copa do Mundo de Futebol em 2014, com os jogos a serem realizados no Mineirão, deram à região o impulso que faltava e é crescente o número de lançamentos imobiliários na Pampulha, tanto residenciais quanto de hotelaria.


O sócio-diretor da Construtora Dominus, Cláudio Neves, é um dos empreendedores que apostam no potencial da Pampulha. Motivada pelas iniciativas para o desenvolvimento do Vetor Norte da capital, a empresa lançou no Bairro Santa Mônica, na divisa da Pampulha com o distrito de Venda Nova, o primeiro condomínio-resort voltado para a classe média da região, o Novo Horizonte Jardins, com um valor geral de vendas (VGV) estimado em R$ 65 milhões.

"Adquirimos o terreno com a intenção de fazer um empreendimento popular, mas com a construção da Cidade Administrativa em Venda Nova e outras medidas para o estímulo ao desenvolvimento do Vetor Norte, mudamos o projeto, acreditando numa transformação do perfil das regiões próximas à sede do governo. Nossa decisão mostrou-se acertada porque vendemos a primeira fase, de 288 unidades, em apenas quatro dias, e 90% dos 198 apartamentos da segunda etapa, lançada no fim de janeiro, já foram comercializados", comemora Cláudio Neves. A maioria dos compradores, assinala o diretor da Dominus, é de investidores e de funcionários públicos que serão transferidos para a Cidade Administrativa.

O bom momento da economia brasileira e a consolidação da capital mineira como referência para o turismo de negócios, aliados a um calendário de grandes eventos internacionais - além dos jogos da Copa do Mundo, a cidade deve sediar algumas partidas do torneio de futebol das Olimpíadas de 2016 -, motivaram os lançamentos imobiliários do segmento de hotelaria. Associada à Bitarães Imóveis, a rede de hotéis Arco deve começar, em breve, a comercialização das 80 unidades do San Diego Pampulha, que será construído, a partir de abril, com investimento estimado em R$ 15 milhões, em área próxima à orla da lagoa.

"Um conjunto de fatores nos fez priorizar esse empreendimento: a mudança da sede do governo para Venda Nova, que vai atrair para a região grande número de turistas de negócio, a proximidade e a facilidade de acesso aos aeroportos e a concentração na região da Pampulha de importantes instituições como a UFMG e a Usiminas. Não focamos nos grandes eventos, porque eles passam", afirma o diretor de Investimentos e Novos Negócios da Bitarães Imóveis, Adão Firmino Costa.





Condomínio fechado

Prédios residenciais na região da Pampulha atendem desde a classe média até famílias de alta renda



Paulo Filgueiras/EM/D.A Press

Cláudio Neves, diretor da Dominus, afirma que apenas 10% das unidades do condomínio resort Novo Horizonte Jardins ainda não foram comercializados

Os lançamentos residenciais na região da Pampulha têm público alvo diverso e atendem desde famílias com renda mensal de R$ 5 mil até aquelas que podem pagar mais de meio milhão de reais por uma casa ou apartamento. O ponto comum aos novos empreendimentos é o conceito de condomínio fechado, com completa estrutura de lazer e esporte.

Para a classe média, formada por famílias com renda mensal a partir de R$ 5 mil, a Construtora Dominus oferece o condomínio resort Novo Horizonte Jardins, com área de 17,8 mil metros quadrados (m2), no Bairro Santa Mônica. De acordo com o sócio-diretor da empresa, Cláudio Neves, o diferencial do empreendimento, com 480 apartamentos, de dois e três quartos, é a área de lazer, com piscinas adulto e infantil, deck molhado, campo gramado, churrasqueiras, solarium, espaço kids, playground, praça de exercícios, salão de festas, espaço gourmet, car wash, salão de jogos e academia, praça de estar, e pista de caminhada, distribuídos em uma área de 3,5 mil m².

"Não existe na região, nos empreendimentos voltados para essa faixa de público, nada parecido e essa característica, somada às condições favoráveis de pagamento, fizeram do Novo Horizonte Jardins um sucesso de vendas", assinala. Apenas 10% das unidades não foram comercializadas. Segundo Cláudio, os preços dos apartamentos variam de R$ 115 mil para dois quartos e área média de 53m², a R$ 157 mil para três quartos e área de 68m². A construtora prevê entrega para março de 2012.

Já a Direcional Engenharia aposta em empreendimentos para público de maior poder aquisitivo, com preço médio de R$ 3,5 mil por metro quadrado construído. Guilherme Diamante, gerente comercial da empresa, informa que, atualmente, a Direcional comercializa o Varandas Fazenda da Serra, em um terreno de 16 mil m² da Avenida Tancredo Neves, no Bairro Castelo, com 136 unidades, de três quartos, com 89m², e de quatro quartos, com 120m², e planeja, para o próximo mês, o lançamento de outro residencial, com 682 unidades, de dois e três quartos, em área da mesma região com 46 mil m².

Os dois também oferecem infraestrutura de lazer completa, o que, na visão do gerente comercial, é diferencial competitivo sobre outros projetos desenvolvidos no bairro.

VALORIZAÇÃO
Em parceria com a Masb Desenvolvimento Imobiliário, a Habitare desenvolveu e está construindo na Pampulha o Alto do Engenho, bairro de 10 condomínios horizontais, cada um deles com área de lazer privativa e unidades vendidas em média por R$ 4 mil o metro quadrado construído. Até agora, sete empreendimentos já foram lançados no Alto do Engenho e os incorporadores já preparam o lançamento de mais dois condomínios.

"Há uma demanda muito grande na Pampulha, que faz com que haja uma grande valorização dos imóveis, tanto que os empreendimentos que começamos a vender por R$ 2,1 mil o metro quadrado já estão em R$ 4 mil o metro quadrado", diz o diretor comercial da Habitare, Alexandre Soares. Ele informa que a Habitare deve lançar mais dois empreendimentos na Pampulha - um no Bairro Santa Amélia e outro no Bairro Serrano.

A Marítima Engenharia e Construções pretende comemorar a data com o lançamento de mais dois condomínios horizontais, no Bairro Trevo. Os empreendimentos são direcionados à classe média alta, com unidades comercializadas em média por R$ 4 mil o metro quadrado construído. De acordo com o sócio-diretor da empresa, Dirceu Farnetti, a Marítima pretende, até o fim do semestre, comercializar o Villagio Istambul, com 29 casas de 150m² e cerca de 360m² de área privativa total.

"Cada unidade terá três suítes e duas vagas de garagem e o condomínio, fechado e com guarita para portaria 24 horas, terá boa estrutura de lazer, com piscinas, sauna, quadra poliesportiva, espaço gourmet e salão de festa". (Reportagens:Denizemenezes-Lugarcerto-Uai)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP